Regulamento

REGULAMENTO

ESCOLA DE MINISTROS RHEMA 

 

APRESENTAÇÃO 

A ESCOLA DE MINISTROS RHEMA é uma entidade de ensino bíblico, mantida pelo MINISTÉRIO VERBO DA VIDA, sem fins lucrativos, que tem a finalidade de preparar e treinar ministros e líderes para se tornarem hábeis na Palavra de Deus e no serviço cristão. A Escola também é de grande importância para aqueles que são chamados para o Ministério de Socorros (ajuda) e que são atuantes em sua igreja local. 

Deus tem chamado um povo especial para um trabalho específico: a proclamação da Sua Palavra. Há mais de duas décadas a ESCOLA DE MINISTROS RHEMA tem sido uma poderosa ferramenta divina para o treinamento desses obreiros. 

A ESCOLA DE MINISTROS RHEMA é de caráter interdenominacional, funciona em regime de externato e opera sob o sistema de gestão dos Cursos Livres.

DECLARAÇÃO DE FÉ 

I – CREMOS NAS ESCRITURAS: a Bíblia é a Palavra inspirada de Deus, produto de homens santos do passado que falaram e escreveram conforme eram movidos pelo Espírito Santo. Cremos na Nova Aliança, registrada no Novo Testamento, como nosso guia infalível em assuntos concernentes à conduta e doutrina (2 Timóteo 3.16, 1 Tessalonicenses 2.13 e 2 Pedro 1.20-21); 

II – CREMOS NA TRINDADE: nosso Deus é um, manifesto em três pessoas – o Pai, o Filho e o Espírito Santo (2 Coríntios 13.13 e Mateus 28.19), que são coiguais (Filipenses 2.6, 1 Coríntios 2.10-12). Deus Pai é a fonte da Palavra (Logos) e o gerador da vida (João 14.28, 16.28 e 1.14). O Filho é a Palavra revestida de carne, aquele que existe com o Pai desde o princípio e foi gerado milagrosamente no ventre de Maria (João 1.1; 1.18 e 1.14). O Espírito Santo procede tanto do Pai como do Filho, habita em nós, nos guia, nos fortalece e é eterno (João 15.26, 1 Coríntios 6.19, Romanos 8.14 e Efésios 3.16); 

III – CREMOS NO HOMEM, NA SUA QUEDA E REDENÇÃO: o homem é um ser criado, feito à imagem e semelhança de Deus. Contudo, por meio da transgressão e queda de Adão, o pecado entrou no mundo. “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. Assim está escrito: “Não há um justo, nem um sequer”. Jesus Cristo, o Filho de Deus, foi manifestado para desfazer as obras do diabo, deu sua vida e derramou o seu sangue para redimir e restaurar o homem para com Deus (Romanos 5.12 e 14, 3.10 e 23 e 1 João 3.8). A salvação é o dom de Deus para o homem, não opera mediante obras da lei, mas, sim, pela graça, por meio da fé em Jesus Cristo, e produz obras agradáveis a Deus (Efésios 2.8); 

IV – CREMOS NA VIDA ETERNA E NO NOVO NASCIMENTO: o primeiro passo do homem em direção à salvação é a tristeza piedosa que resulta em arrependimento, seguido da fé na obra consumada do Senhor Jesus Cristo. O novo nascimento é necessário para todos os homens e, quando cumprido, produz vida eterna (2 Coríntios 7.10, 1 João 5.12, João 3.3-5 e Gálatas 3.11); 

V – CREMOS NO BATISMO NAS ÁGUAS: o batismo nas águas é por imersão e constitui um mandamento expresso do nosso Senhor para os crentes. A ordenança é o símbolo da identificação de cristão com Cristo em sua morte, sepultamento e ressurreição (Mateus 28.19 e Atos 8.36-39). Concernente ao batismo nas águas, uma regra é adotada, a saber, “Sobre a tua confissão de fé no Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, e pela Sua autoridade, eu te batizo em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém”

VI – CREMOS NO BATISMO NO ESPÍRITO SANTO: o batismo no Espírito Santo é um dom de Deus, como foi prometido pelo Senhor Jesus Cristo para todos os crentes desta dispensação. É recebido subsequentemente ao Novo Nascimento. Essa experiência é acompanhada pela evidência inicial e perene de falar em outras línguas conforme o próprio Espírito Santo concede (Mateus 3.11, João 14.16 e 17, Atos 1.8, 2.38-39, 19.1-7 e 2.4); 

VII – CREMOS NA SANTIFICAÇÃO: a Bíblia ensina que sem santificação ninguém pode ver o Senhor. Cremos na doutrina da santificação como uma obra definitiva e progressiva da graça, começando no momento da regeneração e tendo continuidade até a consumação da salvação (Hebreus 12.14, 1 Tessalonicenses 5.23, 1 Pedro 1.13-16, 2 Coríntios 3.18, Filipenses 3.12-14 e 1 Coríntios 1.30); 

VIII – CREMOS NA CURA DIVINA: a cura é para doenças físicas do corpo humano e é operada pelo poder de Deus através da oração da fé e pela imposição de mãos. Foi providenciada pela expiação de Cristo e é um privilégio de todo cristão hoje (Marcos 16.18, Tiago 5.14-25, 1 Pedro 2.24, Mateus 8.17 e Isaías 53.4-5); 

IX – CREMOS NA FAMÍLIA: entendemos a família como o núcleo social formado a partir da união entre um homem e uma mulher ou ainda por comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes (Gênesis 2.24 e Colossenses 3.18-21). Acreditamos também no casamento como sendo a união formal entre um homem e uma mulher, perante Deus e perante os homens, com o objetivo de constituir uma família, estabelecendo-se, assim, o vínculo conjugal. Essa união deve ser civilmente reconhecida segundo as disposições legais (Efésios 5.21-33, 1 Pedro 3.7 e 1 Pedro 2.13-14); 

X – CREMOS NA RESSURREIÇÃO DOS JUSTOS E NA VOLTA DE NOSSO SENHOR: os anjos disseram: “O mesmo Jesus voltará da mesma maneira que o vistes subir”. Sua volta é iminente, e quando Ele vier “…os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares…” (Atos 1.11 e 1 Tessalonicenses 4.16 -17). Depois da Tribulação, Ele voltará à Terra como Rei dos reis e sacerdotes e reinará por mil anos (Apocalipse 20.6 e Mateus 24.29-30); 

XI – CREMOS NO INFERNO E NO CASTIGO ETERNO: aquele que morre fisicamente em seus pecados, sem Cristo, está sem esperança e viverá perdido eternamente no Lago de Fogo. Portanto, não há mais oportunidade, no futuro, para ouvir o Evangelho do arrependimento. O Lago de Fogo é literal. Os termos “eterno” e “para sempre”, usados para descrever a duração da punição do castigo no Lago de Fogo, trazem o mesmo sentido e significação da existência sem fim que é usada para indicar a duração do gozo e êxtase dos santos na presença de Deus (Hebreus 9.27 e Apocalipse 19.20, 20.11-15). 

GRADE CURRICULAR 

A Escola de Ministros valoriza disciplinas que combinam os ensinamentos fundamentais da Palavra de Deus com experiências ministeriais de cunho prático. 

O conteúdo é ministrado sob uma abordagem dinâmica, específica e aprofundada, o que, certamente, contribuirá para o aprendizado e edificação do aluno. Os professores, de excelente reputação, são cheios da Palavra e do Espírito e possuem vasta experiência ministerial, que também será compartilhada — enriquecendo ainda mais cada módulo. 

A sequência dos módulos é organizada de acordo com a conveniência do Ministério Verbo da Vida, estando sujeita a alterações sem necessidade de aviso prévio ao corpo discente. Durante o ano, são ministrados trinta e cinco módulos:

  1. A Família do Ministro; 
  2. A Mulher no Ministério; 
  3. Administração e Finanças; 
  4. Apologética;
  5. Aspectos Legais do Ministério; 
  6. Caráter e Integridade Ministerial; 
  7. Comunicação no Ministério; 
  8. Conhecendo o Mover do Espírito Santo; 
  9. Comportamento e Etiqueta; 
  10. Firmeza Doutrinária; 
  11. Hermenêutica e Exegese; 
  12. Homilética e Oratória;
  13. Levantando e Treinando Equipes; 
  14. Liderança Cristã; 
  15. Ministério com Crianças; 
  16. Ministério com Jovens e Adolescentes; 
  17. Ministério de Cura; 
  18. Missões; 
  19. O Equilíbrio entre o Fruto e os Dons; 
  20. O Ministério de Música na Igreja; 
  21. O Ministério de Socorros; 
  22. O Ministério Itinerante; 
  23. O Ministro Auxiliar; 
  24. O Ofício do Apóstolo; 
  25. O Ofício do Evangelista; 
  26. O Ofício do Mestre; 
  27. O Ofício do Pastor I; 
  28. O Ofício do Pastor II; 
  29. O Ofício do Profeta; 
  30. Oração; 
  31. Qualificações para o Ministério;
  32. Saúde do Ministro; 
  33. Submissão e Autoridade; 
  34. Vida de Prosperidade; 
  35. Ministrando a Palavra. 

De cunho igualmente obrigatório, além das aulas correspondentes aos módulos acima mencionados, integram a grade curricular da Escola: 

  • Aulas de Consagração; 
  • Seminários; 
  • Aula de Campo; 
  • Outras atividades e eventos extraclasse. 

Todas as atividades serão programadas em periodicidade, dias e horários preestabelecidos pela Diretoria e comunicadas aos alunos. 

A direção da Escola também poderá estabelecer oficinas, workshops e outras atividades de cunho optativo, sempre comunicando as informações com antecedência à turma. 

REQUISITOS 

Para submeter-se ao processo de admissão na ESCOLA DE MINISTROS RHEMA, o candidato a aluno deverá preencher os seguintes requisitos: 

  1. Ser graduado no Centro de Treinamento Bíblico Rhema, Centro de Treinamento Bíblico Verbo da Vida ou outra instituição reconhecida pelo Ministério Verbo da Vida
  2. Ser um membro ativo em sua igreja local; 
  3. Ter convicção de que é chamado por Deus para servir ao Seu Reino; 
  4. Estar disposto a seguir todo o regulamento da Instituição, inclusive no critério de avaliação da ficha de pré-inscrição; 
  5. Ser associado à Alumni Rhema.  

PROCESSO DE ADMISSÃO 

O candidato que possuir os requisitos supracitados poderá dar início ao processo de admissão, através das seguintes etapas: 

  1. Preencher devidamente a ficha de pré-inscrição, sem deixar de fornecer nenhum dos dados solicitados; 
  2. Efetuar o pagamento da taxa de pré-inscrição; 
  3. Entregar a cópia dos seguintes documentos pessoais: 
  •  Número do IDA da associação Alumni; 
  •  Diploma da última escola em que se graduou, seja ela Centro de Treinamento Bíblico Rhema, Escola de Missões Rhema, Centro de Treinamento Bíblico Verbo da Vida ou outra instituição reconhecida pelo Ministério Verbo da Vida. 
  • Certidão negativa de débitos financeiros e acadêmicos da última escola em que se graduou, seja ela Centro de Treinamento Bíblico Rhema, Escola de Missões Rhema, Centro de Treinamento Bíblico Verbo da Vida ou outra instituição reconhecida pelo Ministério Verbo da Vida
  • Histórico escolar do Centro de Treinamento Bíblico Rhema, Escola de Missões Rhema, Centro de Treinamento Bíblico Verbo da Vida ou outra instituição reconhecida pelo Ministério Verbo da Vida
  • RG; 
  • CPF; 
  • Foto 3×4 atual; 
  • Certidão de casamento para candidatos não solteiros ou certidão de casamento com averbação de divórcio. 

A admissão do candidato está condicionada à avaliação da Diretoria da Escola de Ministros. Uma vez admitido, será informado via e-mail e/ou telefonema. 

A avaliação é baseada nas informações prestadas pelo candidato em sua ficha de pré-inscrição e nas eventualmente coletadas em sua igreja local. Essa avaliação busca verificar se o aluno se enquadra nos requisitos e padrões morais e espirituais preconizados pela Escola. 

Ciente de sua aprovação, o candidato deverá procurar a tesouraria da Escola de Ministros para pagamento da taxa correspondente à matrícula. Em seguida, realizar a leitura do regulamento e assinatura do Termo de Responsabilidade na secretaria. 

OBSERVAÇÃO: em caso de desistência ou não aprovação, não haverá reembolso da taxa de pré-inscrição. 

 

INFORMAÇÕES ACADÊMICAS 

A. Tempo e Duração do Curso 

O curso tem a duração de 01 ano, com aulas teóricas semanais, preferencialmente às segundas e terças-feiras, que serão distribuídas em dois períodos de setenta e cinco minutos a cada encontro. Os seminários, que poderão ser oferecidos pela unidade da Escola Sede, em Campina Grande (PB), também terão a mesma carga horária

Nas Escolas Itinerantes, os dias e horários de aula, bem como a grade de módulos, poderão sofrer alterações, adaptando-se às necessidades locais, sob o consentimento do Ministério Verbo da Vida. 

B. Aulas de Consagração

Na Escola Sede, as Aulas de Consagração ocorrem com periodicidade mensal, compondo assim, naquela semana, o terceiro dia de aula. 

Nas Escolas Itinerantes, as Aulas de Consagração serão realizadas bimestralmente, adaptando-se às necessidades locais. 

C. Aula de Campo 

A Aula de Campo tem como objetivo principal promover interação com outras realidades e experiências ministeriais, contribuindo para o amadurecimento e fortalecimento do chamado do aluno. 

Essa atividade será realizada em Campina Grande, no Estado da Paraíba, onde fica situada a sede do Ministério Verbo da Vida. A programação poderá abranger ainda outras cidades e estados, a critério do MVV. 

Todas as despesas da viagem serão de responsabilidade do próprio aluno. E a participação integral na referida Aula de Campo é de caráter obrigatório, ficando — o aluno que perdê-la — ciente de que não poderá ser aprovado no curso. 

D. Resumos 

O aluno deverá ler e resumir os livros indicados pela Escola de Ministros durante o ano letivo. As leituras e os resumos deverão ser realizados na ordem e período dispostos no calendário escolar. O envio do resumo deverá ser feito pelo Portal do Aluno, dentro do prazo determinado. 

Quanto à formatação, os resumos devem seguir as seguintes regras: 

  • Tamanho A4; 
  • Capa: cabeçalho completo e as devidas identificações do livro; 
  • Fonte: times new roman ou arial; 
  • Tamanho: 12 pt; 
  • Espaçamento: simples 
  • Alinhamento: justificado; 
  • Margens: 2,5 cm;
  • No mínimo 30 linhas e máximo 2 páginas.

A elaboração dos resumos cabe exclusiva e individualmente a cada aluno. Cópias, plágios e outros artifícios que burlem a autenticidade deles, não serão tolerados de maneira alguma, levando ao desligamento do aluno. 

E. Aprovação 

A avaliação do aluno será feita por meio da observação da sua conduta dentro e fora da sala de aula. A conclusão satisfatória do curso, com a respectiva aprovação, fica condicionada ao cumprimento, por parte do aluno, dos seguintes fatores: 

  • Não exceder o limite de faltas;
  • Entregar TODOS os resumos e relatórios propostos; 
  • Cumprir TODOS os compromissos financeiros assumidos com a Escola;
  • Participar das Aulas de Consagração;
  • Participar da Aula de Campo;
  • Participar das Atividades Extraclasse;
  • Participar dos Seminários (para alunos da Escola sede);
  • Ser atuante em sua igreja local;
  • Manter boa conduta e procedimento aprovado, durante todo o ano, dentro e fora da sala de aula (inclusive nas redes sociais);
  • Em algumas Escolas, o módulo Ministrando a Palavra será instituído pela Diretoria.   Nesses casos, o aluno deverá participar da disciplina, que é de caráter avaliativo. 

F. Aluno 100% 

Será considerado “aluno cem por cento”, aquele que estiver presente em todas as aulas — sem atrasos, marcando a sua presença no primeiro e no segundo período (inclusive nas atividades extraclasse); entregar todos os resumos e o relatório da Aula de Campo nos prazos determinados; cumprir, na data preestabelecida, todos os compromissos financeiros e acadêmicos e não solicitar crachá provisório, além dos outros fatores disciplinares. 

FREQUÊNCIA 

A. Assiduidade 

   No que diz respeito à assiduidade, o aluno deve estar atento às seguintes normas: 

  • As aulas começarão pontualmente, tendo como parâmetro o horário local, de acordo com o relógio da secretaria da Escola. 
  • O registro da frequência, por meio eletrônico e/ou manual, é de total responsabilidade do próprio aluno, que deverá passar seu crachá de identificação em um leitor de código de barras todos os dias de aula e/ou assinar a lista de presença, ou similar, no primeiro e no segundo horário. Em caso de esquecimento do registro da frequência, o aluno deve acatar a falta que lhe será atribuída. 
  • É proibido se ausentar da sala de aula antes do seu término, exceto em casos extremos, mediante comunicado antecipado (com justificativa) ao monitor e liberação da Diretoria. 
  • O aluno que se ausentar sem justificativa da sala de aula, sem a devida comunicação ao monitor e liberação da Diretoria, será considerado faltoso. 

B. Atrasos

  • Os atrasos serão tolerados em até quinze minutos na primeira aula do dia. Excedendo esse período, o aluno será considerado faltoso naquela aula;
  • A cada três atrasos, o aluno somará uma falta. Considerada assim para todos os fins de frequência; 
  • O aluno que chegar atrasado deverá sentar-se nas últimas cadeiras, evitando assim, qualquer distração no bom andamento da aula; 
  • Não serão tolerados atrasos no segundo horário, sendo assim, o aluno que registrar sua frequência após o início da segunda aula será considerado faltoso. 

C. Faltas 

O aluno poderá faltar até 07 dias de aula durante todo o ano letivo, sendo que não será admitido mais de 01 dia de falta em um mesmo módulo. 

Nas Aulas de Consagração será tolerada 01 falta por ano nas Escolas Itinerantes. Na Escola Sede, esse limite será de 02 faltas por ano. 

O aluno faltoso deverá, obrigatoriamente — independentemente do motivo — repor TODAS as aulas em que esteve ausente. A reposição das aulas será feita de forma on-line, mediante apresentação de justificativa para a falta e pagamento de taxa estabelecida pela Escola. 

O aluno que faltar por motivo de trabalho, doença, morte na família (pais, cônjuge, filhos ou irmãos) ou outra razão grave, conforme parecer da DIRETORIA, poderá ser isento da taxa de reposição. Esses critérios de justificativa para as faltas se aplicam a todas as aulas, seminários e atividades programadas pela Escola. 

D. Justificativas e Reposições 

O procedimento para justificar uma falta é uma iniciativa de inteira responsabilidade do aluno. Deve ser feito através do Portal do Aluno, no prazo máximo de duas semanas, após o retorno às aulas. 

Além de descrever as razões que motivaram a falta, a justificativa deve ser acompanhada, quando necessário, de documentos comprobatórios e atestados médicos. Os atestados médicos, inclusive os de acompanhante, serão analisados pela Diretoria, e deverão conter o número do CRM (Conselho Regional de Medicina) do médico signatário. 

A justificativa feita por escrito é necessária para que seja submetida à avaliação da Diretoria. Após apresentá-la, será necessário ouvir/assistir on-line e na íntegra o áudio/vídeo da aula e, em seguida, redigir um relatório sobre ela. Esse relatório deverá ser elaborado nos mesmos padrões dos resumos dos livros e enviado no prazo máximo de duas semanas, após a liberação do áudio/vídeo. 

O conteúdo referente aos áudios/vídeos é de propriedade exclusiva do Ministério Verbo da Vida, sendo protegido por Lei. É vedado ao aluno, de qualquer forma, copiar e/ou distribuí-lo. 

E. Identificação Pessoal

Devidamente matriculado, o aluno receberá um crachá que o credenciará para ter acesso às aulas e atividades extraclasse. Em nenhuma hipótese, o aluno poderá assistir às aulas ou participar das atividades extraclasse sem o crachá. 

Em caso de esquecimento, o aluno deverá fazer uso do crachá provisório, mediante pagamento de uma taxa, dirigindo-se à tesouraria. Em seguida, o aluno deverá apresentar o comprovante de pagamento à monitoria para receber o crachá provisório, que deverá ser devolvido à monitoria ao término da aula. 

Caso haja perda ou dano do crachá, o aluno deverá procurar a secretaria da Escola para informar o caso e solicitar a confecção de um novo, mediante o pagamento de uma taxa na tesouraria. 

INFORMAÇÕES FINANCEIRAS 

O valor do curso será distribuído em 01 matrícula e 10 parcelas. 

As parcelas deverão ser pagas até o dia 10 de cada mês. Após este prazo, incidirá sobre a parcela, uma multa de 2% (dois por cento) e juros de 0,033% (zero vírgula zero trinta e três por cento) ao dia. 

O aluno que deixar de pagar as parcelas por dois meses, poderá ser automaticamente desligado do curso. Em caso de atraso, o aluno deve procurar imediatamente a Escola para justificar a falta de pagamento. 

Qualquer pagamento por meio de cheque só será aceito quando emitido pelo próprio aluno e a quitação só se dará com a devida compensação do título. 

Será cobrada uma multa de 5% (cinco por cento) em casos de cheques devolvidos por Insuficiência de Provisão de Fundos utilizados em pagamentos de parcelas. 

Em caso de desistência do curso, o aluno deverá formalizar por escrito. Nesse caso, o aluno não terá direito ao reembolso da parcela do mês corrente, nem dos anteriores. 

No caso de desligamento ou abandono do curso, o aluno não terá direito ao reembolso da parcela do mês corrente, nem dos anteriores.

Nos casos de desistência,  abandono e desligamento, não haverá aproveitamento posterior das matérias já cursadas, bem como das parcelas pagas.

VESTUÁRIO 

A Escola de Ministros Rhema estabelece um padrão de vestuário no qual o estilo SOCIAL EXECUTIVO deverá ser observado em todos os seus componentes. Todos os itens de vestuário devem compor um visual ordeiro e decente. O uso de roupas fora do padrão estabelecido  impossibilita o aluno de assistir à aula. 

Estas regras não são para estabelecer usos e costumes, mas, sim, para treinar o aluno a ser disciplinado e submisso. Fora do horário de aula, o aluno está liberado para se vestir de outra forma, desde que decentemente e de forma que glorifique JESUS CRISTO, nosso Senhor. 

OBSERVAÇÃO: 

– Não devem ser usados itens que contenham propagandas político-partidárias, assim como não será permitido o uso de nenhum componente do vestuário que esteja rasgado, desfiado ou desgastado. Também não é permitido o uso de faixas no cabelo, bandanas, piercings, alargadores e/ou itens que não sejam compatíveis com a natureza e propósitos do curso. 

A. Vestuário Feminino 

As mulheres poderão usar blusa, camisa social, blazer, colete, suéter e/ou pulôver, saia, vestido e/ou calça (de alfaiataria), sendo todos os itens necessariamente sociais. 

Serão permitidas camisas sociais e blusas com mangas curtas, japonesa, ¾ (três quartos) ou longas. As camisas com algum tipo de transparência, devem ser sempre usadas com uma blusa composta por baixo e com alça de, no mínimo, 3 centímetros de largura. O uso da camisa por dentro da calça, só será permitido se esta não marcar os quadris, evidenciando-os.

As saias devem ser abaixo dos joelhos ou longas. Já os vestidos devem ser com mangas japonesas, curtas, ¾ (três quartos) ou longas e seu comprimento abaixo dos joelhos ou longos. 

As calças devem cobrir o tornozelo, ser folgadas e seguir o estilo alfaiataria, clochard ou pantalona. As calças um pouco mais estreitas, só serão permitidas quando, obrigatoriamente, forem usadas com camisas/túnicas que cubram completamente os quadris, prolongando-se até a metade da coxa.

Serão permitidas as seguintes estampas: poás, listras, risca de giz, xadrez pied poule, animal print, geométricos e florais pequenos. Não será permitido o uso de estampas figurativas (objetos, animais, pessoas, frases, paisagens e frutas) ou xadrez cowboy. 

Os sapatos devem ser dos tipos: scarpin, peep toe, channel ou sandália, desde que social – muito bem conservados e limpos. 

Não será permitido o uso de roupas dos seguintes tecidos: malha, jeans,brim ou cotton/lycra

As roupas confeccionadas em couro, courino, sintético ou similares, só serão permitidas em peças como blazer, em corte tradicional ou sobretudo.

Também não será permitido, em nenhuma hipótese, o uso dos seguintes itens: bermudas, macacão, calça skinny, cropped, pantacourt, calças curtas e/ou justas; saias curtas e/ou justas, saias ou calças rasgadas e/ou desfiadas, saias longas com forro curto que não cubram os joelhos; vestidos longos com forro acima dos joelhos, vestidos curtos, de malha, decotados e/ou justos; camisetas de malha, regata, blusas decotadas com alças menores que 3 centímetros e/ou sem mangas; assim como tênis, sapatênis, sandálias rasteiras, sandálias amarradas nas pernas, chinelos, anabelas ou outros esportivos. 

B. Vestuário masculino

Os homens poderão usar calça, cinto, camisa social (manga longa), gravata, sapato e meia. Todos os itens citados devem ser sociais. O uso da gravata é opcional. 

A barba e o cabelo devem estar sempre bem cuidados e limpos, demonstrando boa aparência e zelo. 

Os sapatos devem ser do tipo social, muito bem conservados e limpos. 

Em nenhuma hipótese será permitido o uso de: camisas sem gola, camisetas, regatas ou polo; calça skinny, calças curtas e/ou justas; tênis, sapatênis, sandálias ou outros esportivos. Também não será permitido o uso de camisas xadrez cowboy. 

DIREITOS E DEVERES DOS ALUNOS 

A. Direitos 

  • Receber o treinamento oferecido em todas as atividades realizadas pela Escola durante o ano letivo; 
  • Indagar e pedir esclarecimento sobre qualquer assunto didático ministrado em sala, fazendo-os ao término das aulas, diretamente ao professor, com decência e moderação;
  • Receber diploma, declarações, crachás e históricos das disciplinas mediante solicitação à secretaria da Escola. Em caso de segunda via, deverá efetuar o pagamento da taxa correspondente;
  • Será permitido o uso de laptops, notebooks, tablets, celulares ou smartphones exclusivamente para anotações referentes à aula em andamento. Os aparelhos devem estar em modo avião ou offline, porém, não será permitido conectar carregadores a fontes de energia dentro da Escola;
  • Participar de todas as solenidades alusivas à conclusão do curso; 
  • Os graduados da ESCOLA DE MINISTROS RHEMA poderão frequentar a sala de aula, desde que haja espaço físico e mediante o pagamento de taxa proporcional ao período frequentado. 

B. Deveres 

  • Cumprir, com rigor, todo o Regulamento da Escola de Ministros;
  • A pontualidade deve ser observada rigorosamente por todos os alunos; 
  • O espírito de oração deve ser preservado no recinto da Instituição, em reverência à presença de Deus;
  • Cada aluno será responsável pelo seu próprio material (cadernos, canetas, Bíblias, tablets, telefones celulares, laptops, etc.); 
  • Fazer leituras e estudos bíblicos individuais, bem como participar de momentos devocionais; 
  • Obedecer às escalas de treinamento da EMR; 
  • Justificar com antecedência a sua impossibilidade de participação em qualquer atividade da Escola; 
  • Portar o crachá de identificação pessoal em toda e qualquer atividade;
  • O aluno deverá ser um membro ativo na igreja a qual está filiado. Caso o aluno seja de outra cidade, deverá se envolver em uma igreja local – de sua preferência, informando à secretaria da Escola qual a congregação e em qual departamento irá se envolver; 
  • Cumprir com suas obrigações acadêmicas e financeiras nos prazos estabelecidos. 

CONDUTA CRISTÃ

O caráter cristão é vital na Escola de Ministros Rhema. Cada aluno deverá zelar pela sua própria vida espiritual, devendo ter conduta e comportamento cristãos exemplares, evitando toda a aparência do mal. 

Cada aluno deverá zelar pelo seu comportamento e relacionamento com os alunos do sexo oposto, dentro e fora da sala de aula. Deve respeitar seus colegas de sala, evitando todo tipo de brincadeiras ou discussões que venham a atrapalhar a comunhão fraternal e prejudicar a sua vida espiritual, bem como tratá-los por apelidos ou de forma jocosa. 

Respeitar os membros da Diretoria, Professores, Secretários, Monitores e demais Colaboradores da Escola. 

Se chegar ao conhecimento da Diretoria reclamações sobre a conduta de qualquer aluno, dentro ou fora da sala de aula, ele será ouvido e questionado sobre o fato. Caso haja confirmação de má conduta, o aluno será disciplinado. Dependendo da gravidade do ocorrido, poderá ser desligado do curso. 

O aluno deve zelar pela sua vida pessoal e reputação, inclusive por suas publicações em mídias sociais, pois esses critérios também são objeto de avaliação e permitiram o seu ingresso na Escola. Ele deve zelar por isso para que esteja sempre dentro dos padrões e ensinamentos bíblicos, bem como dos princípios de fé da Instituição.

O aluno é representante direto da Instituição, perante a comunidade evangélica e o público em geral, devendo, portanto, conduzir-se de modo conveniente, de acordo com os parâmetros do Evangelho, dando um bom testemunho da Escola a qual está vinculado. 

Sendo assim, não será permitido ao aluno:

  • Conversar e fazer barulho de modo a causar distrações; 
  • Interromper a aula; 
  • Entrar em sala de aula com comida, bebida (água, refrigerante, suco, entre outros), chicletes e outros itens do gênero; 
  • Mexer nos pertences de outrem, a não ser com expressa autorização do dono; 
  • Fazer ou receber ligações telefônicas durante a aula (caso o aluno necessite, por motivo de força maior, receber uma ligação durante a aula, o telefone celular deverá ser deixado na secretaria para que seja atendido por um colaborador);
  • Filmar, fotografar, gravar e reproduzir áudio, enviar e visualizar mensagens de texto, acessar mídias sociais e utilizar bluetooth durante a aula, por meio de máquinas fotográficas, filmadoras, laptops, notebooks, tablets, celulares ou smartphones. Se o aluno for flagrado cometendo tal infração ou utilizando o seu equipamento para outros fins — que não seja leitura da Bíblia ou anotações referentes à aula (salvo por solicitação do professor(a) ou  da equipe da escola) — perderá automaticamente o direito de usá-lo e de transportá-lo em sala de aula até o final do ano letivo; 
  • Levar visitantes para a sala de aula; 
  • Entrar sem autorização na secretaria da Escola ou em qualquer outro local reservado aos membros da Diretoria;
  • Comercializar quaisquer produtos nas dependências da Escola; 
  • Distribuir panfletos de propagandas ou de eventos, nem tampouco fazer anúncios orais em púlpito ou nos meios de comunicação da Escola como Telegram e/ou Whatsapp.

DISCIPLINA 

O objetivo da Instituição é treinar obreiros e prepará-los para toda boa obra na seara do Senhor, portanto, zelamos pela disciplina. Assim, a desobediência a qualquer item do REGULAMENTO implicará em punição. 

O aluno será sempre ouvido nos processos de disciplina, que serão proporcionais à desobediência, podendo ser: advertência (oral ou escrita), suspensão ou até mesmo o seu desligamento do curso. Caso o aluno apresente conduta que afronte os princípios de fé da Escola de Ministros e da Palavra de Deus, ele será desligado. 

DEPARTAMENTO DE CRIANÇAS 

Não é permitida a presença de crianças na sala de aula ou nas dependências da Escola. 

Fica a critério de cada Escola, de acordo com as suas possibilidades, o funcionamento do Departamento de Crianças, bem como a cobrança ou não de taxa para o uso desse serviço. Esse departamento destina-se apenas aos alunos da Escola que não têm com quem deixar a sua criança. 

FORMATURA 

O aluno só terá o direito de receber o Diploma de Conclusão do Curso e de participar de todas as solenidades relativas à Colação de Grau promovidas pela Instituição (Culto de Imposição de Mãos e Cerimônia de Formatura) se estiver em dia com todas as obrigações acadêmicas e financeiras, bem como com sua conduta aprovada na ESCOLA DE MINISTROS RHEMA. 

A participação na Cerimônia de Formatura não é obrigatória, ficando a critério do aluno. Caso ele opte por participar, deverá atender às diretrizes trazidas pela Direção da Escola.