Vida reta não é suficiente

Postado em
2

por Amarildo Costa (Iporá-GO)
*Pastor da Igreja Verbo da Vida 

Tenho me fascinado, lendo, na Bíblia, a história dos reis de Israel… Alguns casos me intrigam, como  o de Amazias, vejamos o que a Palavra diz sobre ele:

“Ele fez o que era reto aos olhos do Senhor, mas não o fez com coração perfeito” (2 Crônicas 25.2). 

Fiquei pensando sobre isso: seria possível ser reto, mas não com um coração perfeito?

Então fui verificar na Palavra e, embora já estivesse ciente da possibilidade, tive o testemunho das recorrentes vezes que o Senhor fala sobre isso, todavia, resolvi ver o contexto dessa fala, sobre ser reto, mas não com coração perfeito!

Quando li o contexto, percebi o porquê de Amazias ter sido um homem que serviu a Deus, mas não de todo o coração. Ele acabou se desviando, é o que lemos no v. 14, que diz:

“E sucedeu que, “depois que Amazias veio da matança dos edomitas, trouxe consigo os deuses dos filhos de Seir, tomou-os por seus deuses, e prostrou-se diante deles, e queimou-lhes incenso.”

Servir ao Senhor com um coração dividido levará a pessoa a se desviar ou simplesmente viverá de pontos altos e baixos, o que tem sido o caso de muitos! Quando o Senhor enviou Samuel a casa de Jessé para ungir um novo rei para Israel, o profeta, quando viu Eliabe, o bonitão, pensou: deve ser esse, mas veja o que o Senhor lhe disse:

“Não atentes para a sua aparência, nem para a altura da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o SENHOR não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração” (1 Crônicas 16:7).

Já era de se esperar que o Senhor não se importa com o quanto de habilidade ou inteligência temos! Ele olha para o coração. Eu sei que em momentos de dificuldades e necessidades, somos tendentes a agir por impulsos e formar equipes para o serviço com o que temos. A gente faz isso até pensando em ajudar as pessoas a se firmarem mais com o Senhor, mas o tempo vai revelando quem realmente ama a Deus de todo o coração – os que creem de verdade ou, simplesmente, agem num momento por uma necessidade pessoal ou outro motivo, mas o coração ainda está dividido.

Há pessoas que serão capazes de jurar fidelidade, como foi o caso do povo judeu! Essas pessoas estão sendo sinceras quando falam! Elas até criticam os que deixam de ir para a igreja para fazerem outras coisas. Falarão daqueles que não creem para não pegarem trabalho que atrapalhem dias de cultos e estão sendo sinceras, mas, em virtude de suas próprias  inconsequências, podem acabar fazendo o mesmo.

Alguns dizem: farei assim e assim… Prometem fidelidade em algo, concordam com algo que falamos e até dizem o que farão em prol da causa, mas negligenciam o que dizem e, muitas vezes, não procuram para justificar os motivos de suas faltas! O que seria isso?Simples: o coração não é perfeito ainda! Seus corações continuam divididos, por mais que tenham seus motivos para agirem como agem. Isso nos lembra Israel, o povo de Deus que, por diversas vezes, prometeu lealdade ao Senhor e aos profetas de Deus. Um caso desses pode ser lido em Salmos:

“Porque o seu coração não era reto para com ele, nem foram fiéis ao seu concerto” (Salmo 78.37).

O povo estava constantemente pisando em falso, ainda que jurasse lealdade, como fizeram inúmeras vezes! Qual seria o motivo? Seus corações em duplicidade! As palavras de Isaías descrevem bem essa condição do coração dividido:

“Porque o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim, e com a sua boca, e com os seus lábios me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim” (Isaías 29.13).

Muitos séculos depois, Jesus vai dizer essas mesmas palavras de Isaías (Mateus 15.8). Imagine uma mulher desposada de alguém que se abraça com seu prometido e o beija, pensando em outro! O que você diria disso? O que você faria se descobrisse que isso acontecia com você? Essa era a situação daquele povo: eles adoravam somente de boca, mas seus corações estavam em outro lugar. Foi por isso que Jesus começou a falar por parábolas e eles não foram salvos. A vida do adorador requer um coração completo para Deus, e não basta dizer que tem esse coração ou alegar vida correta, pois Deus é que sonda, mas isso também pode ser percebido por quem tem o Espírito de Deus!

Um dos grandes erros de Ananias (Atos 5) ou, o pior deles, foi mentir para os líderes da igreja, achando que era algo somente diante de homens, mas o resultado foi triste. Ele morreu porque julgou errado a humanidade daqueles líderes. Um coração errado é digno de julgamento! O profeta Oséias fala que o povo que tem o coração dividido será considerado culpado.

Essa condição de se ter um coração dividido entre Deus e os interesses pessoais, ou, ainda não ter feito uma decisão verdadeira e consciente por Ele, é muito triste!

No livro de Atos, temos um caso muito pertinente. Tratava-se de um homem que era muito conceituado na província de Samaria. A história está no cap 8, Simão, era o seu nome. Ele se tornou famoso por suas artes mágicas. Chegou mesmo a ser considerado um prodígio de Deus.

Simão ouviu Filipe pregar e se uniu aos irmãos da cidade, mas, quando ele viu Pedro operar no poder de Deus, cresceu os olhos e quis aquilo para si. Essa seria a sua nova forma de ganhar dinheiro, então tentou negociar com o ministro do Senhor, mas vejam o que Pedro disse:

“Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus” (Atos 8:21).

Foi a partir do nome de Simão e do seu coração errado em querer ganhar dinheiro às custas do ministério santo, que surgiu a palavra simonia. A simonia tem sido o pecado de muitos ministros hoje em dia, mas ela vem de muitos séculos atrás. É muito importante que nos examinemos, em nossas atitudes, para que não nos achemos em semelhantes situações. Um coração dividido fará com que estejamos constantemente, o que nos tornará não confiáveis.

Veja o que Tiago 1.8 diz: “O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos.”

Amazias, que foi a pessoa chave dessa mensagem, praticou muitos atos retos, mas seu coração era imperfeito diante de Deus. Sua vida reta lhe trouxe muita prosperidade, mas por não procurar acertar o seu coração, perdeu tudo, inclusive o reino. O Senhor lhe deu a oportunidade de acertar as coisas, enviando-lhe um profeta, mas quando foi corrigido, não deu ouvido. Às vezes, vemos alguns precisando de ajustes, mas, quando os procuramos, não nos dão ouvidos. Muitas vezes, ouvi palavras que, ao meu entendimento, estavam fora, mas eu dizia para mim mesmo: verei isso melhor. Não via o menor sentido, mas, pense comigo: se Balaão tivesse ouvido a Palavra de Deus, não teria sido preciso ouvir a jumenta. Já pensou? Deus teve que usar uma jumenta para falar com aquele, de quem se dizia: o homem de visão aberta! O coração de Balaão era ganancioso, egoísta e orgulhoso!

Há tempo ainda para nos examinarmos! Sondemos o nosso coração! Avalie essa mensagem e veja se você não precisa repensar conceitos à luz da Palavra de Deus. Há um grande risco em não corrigirmos atitudes e comportamentos. Deus sempre olha para o coração. Se o seu coração condená-lo, ouça-o, ou ele ficará endurecido e você não o ouvirá mais! Nisso, também, há um porém… Se o seu coração não acusá-lo, examine-se à luz da Palavra, pois pode ser que seu coração esteja atravessando uma pequena confusão, por falta de verdadeiro conhecimento, ou por você já ter procurado silenciá-lo, algumas vezes!

Em todos os casos, se avalie pela Palavra. Se há algo duvidoso no que você faz ou crê, se corrija. Quero lhe dar um exemplo, de algo duvidoso, no vinho! Muitos dizem: não é errado tomar um pouquinho aqui e ali… Será mesmo? Tudo bem, digamos que não seja, mas o ato de beber vinho é duvidoso, por mais que você queira usar o caso da festa de Caná, em João 2. Ninguém veria com bons olhos uma pessoa do Senhor chegar num bar e dizer: “Dê-me uma dose de vinho…” Eu sei que você pode argumentar que o povo se escandaliza com tudo! Não! O povo se escandaliza com o que é duvidoso! E, no mais…Há coisas lícitas, mas até elas, muitas vezes, não convém e até o que convém, deve ser ponderado.

Não vivemos dentro do ambiente de ‘podes e não podes’, ouvimos Deus, pela Palavra e, muitas vezes, O ouvimos no coração, em coisas que não estão explícitas na Palavra, quanto a tomar decisões, bem como se algo é ou não pecado, até porque há coisas que Deus pedirá a você, que não pedirá de mais ninguém! Sim, Ele lhe pedirá algo que não pediu a alguém que você conheça, até por não está escrito que é errado, mas Ele confiou em você, para ir um pouco além do normal!

Preste atenção numa coisa: se pessoas falam de suas atitudes ou comportamentos, é bom você começar a considerar isso, pois, do contrário, pode ser necessário Deus usar uma jumenta para salvá-lo, caso você permaneça justificando o que faz ou pensa! Pode parecer legal Deus falar através de um animal, mas eu prefiro ouvir Sua voz no coração, a ouvir um galo, boi, peru ou outro animal, ainda que pareça sobrenatural.

Minha palavra final são as de Tiago 4.8: “Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações.”

Tiago resume tudo o que eu disse em três sentenças:

1. Achega-vos a Deus
2. Alimpai as mãos
3. Purificai os corações.

Ele fala de retidão, atitudes e conduta. Lembre-se: não basta apenas fazer o que é certo! Há uma maneira certa e uma atitude certa para se fazer todas as coisas, que é ter um coração íntegro. Paulo disse em Colossenses 3.17: “Tudo o que fizerdes, fazei-o em nome de Jesus, para a glória de Deus”, (ou dando graças a Deus).

Veja que ele disse: tudo. Também disse como deve e o propósito pelo qual deve ser feito: em nome de Jesus e para a glória de Deus. Se você vai fazer algo que não pode, de sã consciência, ser feito em nome de Jesus e para a glória de Deus, pare! O Senhor conhece os corações e sabe como recompensar a cada um!

Soli Deo Gloria!

 

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA