Vacinem seus filhos!

Postado em
0

por  Lenise Freitas (Rio de Janeiro-RJ)
*Líder do Ministério Graça e Verdade

É uma marca da nossa querida Aurinha Chianca, aqui no Verbo da Pedra, no Rio de Janeiro quando quer trazer alguma admoestação dizer que para alguns sua ministração será remédio, para outros vacina espiritual. 

Sou muito grata pela inspiração divina  que Deus tem dado aos cientistas para elaboração de vacinas (normais). Como oramos para que a vacina contra Covid 19 chegasse rápido e ela chegou em tempo recorde!

Hoje temos visto até mesmo igrejas Verbo da Vida servindo à comunidade como postos de vacinação e isso é maravilhoso. Já temos colhido os resultados da vacinação. Mas quero falar sobre um outro tipo de vacina, as vacinas a que Aurinha se refere, as vacinas espirituais!

Sim, precisamos vacinar nossos filhos espiritualmente! Em um tempo onde nos acostumamos a uma pandemia que rasga o evangelho todos os dias, precisamos abraçar medidas de prevenção.

Nem sempre o distanciamento social será possível. Jesus não nos tirou do mundo, mas seu desejo sempre foi que fôssemos livres do mal. Não somos deste mundo, mas estamos neste mundo para fazer diferença.

E, se as tempestades são inevitáveis, nossas casas devem estar firmadas na rocha.

Vacinas tem a propriedade de induzir a produção de anticorpos apresentando fragmentos do próprio vírus ofensor. Assim, nosso corpo passa a conhecer o inimigo e consegue se defender.

Precisamos educar nossos filhos com a verdade. Não com fake news, teorias exageradas ou ultrapassadas que não de sustentarão quando eles se confrontarem com a realidade deixando-os desprotegidos.

Não podemos responder com Graça e verdade se não temos paciência para ouvir as perguntas! Precisamos conhecer nossos filhos, precisamos ter paciência, compreender seus pontos de vista, ouvir seus argumentos com amor. E como aprendemos com eles!

Esta é uma queixa comum que ouço de inúmeros jovens todas as regiões do nosso país. Nossos filhos muitas vezes não são ouvidos. E se não os ouvimos, não há diálogo, fracassamos. Jesus ouvia as pessoas e sabia o que responder. Jesus era bem informado.

Em segundo lugar, precisamos ter empatia, sim eu gosto de usar essa expressão como um missionário que aprende o dialeto do povo que quer alcançar. Empatia, compaixão… Precisamos lembrar que já tivemos a idade deles e já passamos por conflitos e tentações. Jesus pode se compadecer de nós porque desceu de sua glória e se tornou como nós. Ele ainda lembra de tudo que viveu.

Não podemos impor aos nossos filhos pesos que nós mesmos não carregaríamos. Como isso é injusto!

Por último, junto com o fragmento do vírus a vacina possui um código com o caminho para que o corpo vença o vírus. Não podemos esquecer que nosso código é a Graça! A habilidade sobrenatural que recebemos através da fé. E quero lembrar que a fé vem pelo ouvir a Palavra, a voz de Deus através de relacionamento com Ele. 

Precisamos também ser voz de Deus para nossos filhos. E contar a eles como chegamos até aqui, lembrar os benefícios de andar com Jesus. Se há um prazer no pecado precisamos anunciar que há um prazer maior na obediência e na comunhão.

Os pensamentos de Deus a nosso respeito são pensamentos de paz, de amor para que possamos não viver alegrias momentâneas mas um futuro brilhante. Precisamos dizer aos nossos filhos que eles podem ser guiados e não precisam o tempo todo bater cabeça porque essas “batidas” podem trazer consequências ruins.

Precisamos dizer aos nossos filhos que eles são criativos, que eles não precisam embarcar em qualquer movimento social mas andando com Cristo podem criar seus próprios movimentos e discernir a hora de concordar com a multidão e a hora de dizer não.

O que aconteceu? Será que a motivação certa se esgotou? Será que podemos ter deixado  de ser apaixonados por Jesus e tudo que ele ama, para sermos meros defensores da moral e dos bons costumes com uma régua muitas vezes questionável? Sim porque se fazemos acepção de pecados, somos tão severos com alguns e “passamos panos em outros” deixamos de ser voz profética para essa geração e apenas tornamos elásticos nossos parâmetros (o que de fato nossos filhos percebem rapidamente e rejeitam).

Precisamos reeditar nossa motivação certa porque precisamos vacinar nossos filhos para que Eles possam conhecer o amor a Graça que conduzem ao arrependimento e livram nossas vidas. 

Que este texto seja também para alguns remédio e para outros vacina.

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA