Praticantes da Palavra

Postado em
0

por Thiago Garcia

Eu cresci na Palavra da Fé e sei do impacto que ela causou na minha casa. Essa Palavra tem a condição de transformar e mudar as situações, de alterar destinos e perspectivas. 

Se você não teve o privilégio de recebê-la logo cedo, hoje você está aqui e tem a chance de mudar a sua história. Seja grato a Deus!

A forma como nós interagimos sobre Deus faz toda a diferença. A forma como nós, crentes, nos comportamos na nossa casa tem o potencial de fazer a diferença, não só na nossa vida, mas na daqueles que nos observam.

Existe alguém de olho em você na sua casa!

A Bíblia não é um jornal velho, é a Palavra de Deus e carrega o poder dEle. Nós que somos crentes temos a responsabilidade de viver corretamente, e não de qualquer forma. Devemos interagir com a Palavra de Deus de forma específica. 

“Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas. E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural;
Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era” (Tiago 1.21- 24).

Tiago escreveu para crentes e não para incrédulos. Não raras as vezes, você verá a Palavra de Deus associada com o poder de Deus, porque ela carrega em si um poder.

A Palavra e o poder andam juntos. 

Despojar quer dizer tirar. Para andar na Palavra, devemos tirar uma coisa e acolher outra. Devemos abraçar a mansidão e isso não significa ser lento. Manso é ter um coração apto para aprender, é acolher a Palavra como predominante.

Impurezas tentam chegar sobre mim e sobre você. Estamos vivendo em um mundo que tenta nos afastar de Deus, porque o mundo jaz no maligno. Essa maldade e impureza só acabarão quando formos embora deste mundo. Nosso compromisso com a Palavra é tirar a impureza todos os dias.

Devemos acolher com mansidão essa Palavra, ou seja, abraçá-la de forma específica. Precisamos sair de um estágio inicial de ouvintes e nos tornar praticantes. Ninguém nasce praticante, mas devemos nos tornar e isso é um processo. 

Às vezes, não é tão fácil entender as metáforas que vemos na Bíblia. Mas devemos compreender algo: o espelho foi inventado em 1835, era uma lâmina de vidro com película de prata. O espelho tem menos de 200 anos de idade, então, quando a Bíblia foi escrita ele ainda não existia, mas que espelho era esse que ele se referia? No máximo, naquela época, podia ser uma bandeja de prata que dava uma noção de espelho.

Estamos sempre fazendo fotos, olhando o Instagram e penso: se alguém dissesse que a sua aparência não é a que você conhece? Você iria acreditar? Então, Tiago usou essa ilustração para exemplificar a prática na Palavra, que devemos sempre voltar e conferir como fazemos com a nossa aparência no espelho. 

A consulta ao espelho da Palavra só evolui se você sair da categoria de ouvinte para a de praticante. 

Não há fala que seja suficiente para encobrir as nossas ações dentro de casa. Quando eu era pequeno e estava doente, meu pai orava, quando faltava provisão, minha mãe orava. Era a prática da Palavra que me fazia construir a imagem do espelho, me mostrando desde pequeno quem eu era em Cristo.

Os desafios constroem em nossos filhos alicerces na Palavra de Deus. Eu nunca pensei em me desviar, porque só conheço esse caminho e é nele que sei que devo andar.

“E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas”  (Deuteronômio 6. 6-9).

Essa era uma instrução interessante, eles estavam inculcando nos filhos a verdade da Palavra. Inculcar é colocar dentro da cuca. A Palavra precisa fazer parte da constituição de quem você é. Devemos falá-la, vivendo e praticando.

Os nossos filhos nos escutam falar a Palavra? Estamos tendo ousadia para declarar a Palavra?

Coloque a Palavra nos umbrais da sua casa, deixe seu filho ver e aprender. Precisamos ser um praticante destemido da Palavra, ousado e corajoso. Vamos ser luzeiros que este mundo precisa. Os desafios surgirão, mas, sendo praticantes da Palavra, vocês verão os resultados. Leve a Palavra por onde você for e ela fará a diferença na sua vida, na sua casa e na sua família.

Se o seu filho vê-lo voltando para o espelho da Palavra, diante de dificuldades, ele vai fazer o mesmo. A gente não precisa falar muito, mas a gente precisa ser.

*Trechos da mensagem do dia 27 de fevereiro, no Acampamento Verbo da Vida 2022.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA