Entendendo a Bíblia à luz do Novo Testamento

Postado em
0

por Emílio C. Claudiano 

“Então o SENHOR Deus disse à serpente: — Por causa do que você fez, você é maldita entre todos os animais domésticos e entre todos os animais selvagens. Você rastejará sobre o seu ventre e comerá pó todos os dias da sua vida. Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua descendência e o descendente dela. Este lhe ferirá a cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar.”
(Gênesis 3.14-15)

“Sabendo que não foi mediante coisas perecíveis, como prata ou ouro, que vocês foram resgatados da vida inútil que seus pais lhes legaram, mas pelo precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem defeito e sem mácula. Ele foi conhecido antes da fundação do mundo, mas foi manifestado nestes últimos tempos, em favor de vocês.”
(I Pedro 1.18-20)

“E o Deus da paz, em breve, esmagará Satanás debaixo dos pés de vocês. A graça de nosso Senhor Jesus esteja com vocês.”
(Romanos 16.20)

“Então vi descer do céu um anjo que tinha na mão a chave do abismo e uma grande corrente. Ele segurou o dragão, a antiga serpente, que é o diabo, Satanás, e o prendeu por mil anos.”
(Apocalipse 20.1-2)

Os textos que lemos, acima, falam de acontecimentos futuros e tempos bem distantes entre eles que percorrem toda a Bíblia, e o tempo da humanidade nesse mundo sobre coisas que iriam acontecer após o pecado de Adão.

Essa declaração de Deus que vemos em Gênesis 3, foi feita após a queda do homem, e esse registro feito por Moisés mostrando que o início da criação do mundo e a queda do homem não foi feito em tempo real, Deus revelou essas coisas a Moisés em uma geração que mal O conhecia, não sabia quem de fato Ele era (Êxodo 3.13-14). E, ao contrário de muitos ensinos que ouvimos sobre Deus ter sido pego de surpresa, ou ficado triste com a traição de Adão, tudo o que aconteceu já era do conhecimento de Deus antes do homem ser criado como vemos em I Pedro 1.18-20. Deus nunca pode ser pego de surpresa, isso
não é possível.

Na verdade não existe passado, presente ou futuro para Deus, o tempo só existe para nós,
Deus criou o tempo e colocou a natureza humana dentro dele, então muitas vezes os homens se confundem e caem no erro de colocar Deus em nossa esfera, com isso criam narrativas e sentimentos envolvendo Deus, que de fato não aconteceram.

Limitando Deus e, muitas vezes atribuindo a Ele preocupações, tristezas, e outras emoções que Ele mesmo nos orienta a não termos. Era exatamente essa visão que os homens do velho testamento tinham sobre Deus, suas visões sobre Deus eram fracas, humanas e limitadas ao seu próprio conhecimento, pois estavam separados de Deus, mortos espiritualmente por causa do pecado. Por mais que houvesse bons homens usados por Deus para comunicarem a Sua vontade e profecias, eles eram imprecisos por causa da escravidão e separação que o pecado trouxe a eles.

Por exemplo, o diabo não é visto matando, roubando e destruindo, nós sabemos que era ele quem estava fazendo isso, no entanto o povo de Deus atribuía a Deus esses atos, acreditavam que Ele era responsável por todo bem ou mau que sobrevinha sobre a humanidade. Quando Deus fala conosco, fala dentro da esfera do tempo, porque é onde vivemos e o que conhecemos.

Ele fala sobre dias, semanas, meses, anos, tempos e datas, no entanto Ele não está no tempo, e não é limitado como nós. A natureza humana que estava morta, precisava ser salva da morte e reconectada com Deus. A revelação perfeita de Deus ao homem estava a caminho e aconteceu com o nascimento de Jesus, a vinda do Messias, Seu Filho.

A partir de Jesus, O Pai foi de fato conhecido, as profecias compreendidas e o diabo desmascarado. Um novo povo nasce, a igreja de Deus, conhecida literalmente como o corpo de Cristo, templo do próprio Espírito Santo, feita de semente incorruptível, portanto irrepreensível, capaz de entender e receber de forma precisa as revelações divinas pelo poder do Espírito Santo. A partir de Jesus podemos entender as escrituras, saber quem é Deus, quem é o diabo e quem somos nós, o temos e o que podemos.

O povo de Deus do velho testamento esperava o Messias para salvá-los de seus pecados, a igreja é o resultado da Sua vida, morte e ressurreição, do seu Sangue derramado, livres do poder do pecado, justos e santos. Em Jesus podemos entender as escrituras da Bíblia, nos conhecer como igreja, extensão do próprio Cristo, feitos um com Ele para ser como Ele e fazer o que Ele fez.

Conhecendo exatamente e expressamente o Pai em Jesus, com a capacidade de discernir o mundo espiritual, entendendo os dias, semanas, meses, anos, tempos e datas. A igreja é a revelação de Cristo para o mundo, Sua própria expressão e voz, carregando toda autoridade e poder dEle, levando cura, paz e salvação a um mudo perdido. A igreja para ser igreja teve que ter sua dívida paga, lavada e limpa pelo sangue precioso de Jesus, feitos filhos, habilitados para ser igreja, corpo do próprio Cristo, no corpo de Cristo não há pecadores, só justos e santos.

“Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação. Pois nele foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele tudo subsiste. Ele é a cabeça do corpo, que é a igreja. Ele é o princípio, o primogênito dentre os mortos, para ter a primazia em todas as coisas. Porque Deus achou por bem que, nele, residisse toda a plenitude e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus.”
(Colossenses 1.15-20)

Jesus disse a Felipe: “quem vê a mim, vê o Pai”, através de Jesus podemos entender o velho testamento e o novo. Saber o que Deus é e o que Ele não é, o que Ele faz e o que Ele não fez e não está fazendo, o que Ele prometeu e a quem prometeu, o que éramos antes dEle e o que nos tornamos depois de Sua vinda, de Sua morte e ressurreição. De fato, Ele é a luz para todo o entendimento e revelação das escrituras, tudo está centralizado nEle.

A renovação da mente é necessária e só pode acontecer após o novo nascimento. O milagre da nova criação em Cristo é fundamental para que Ele continue a fazer Sua obra através de quem nasceu de novo. O ensino de Jesus, Seu novo testamento feito a partir de Seu Sangue trazem benefícios e promessas superiores para a igreja, somente a igreja desfruta e está habilitada para esse nível superior em Cristo, todos estão chamados para estar em Cristo, mas somente os que vêm tornam-se igreja e são habilitados para toda boa obra.

“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo. Antes da fundação do mundo, Deus nos escolheu, nele, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele. Em amor nos predestinou para ele, para sermos adotados como seus filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o propósito de sua vontade, para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado. Nele temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça, que Deus derramou abundantemente sobre nós em toda a sabedoria e entendimento. Ele nos revelou o mistério da sua vontade, segundo o seu propósito, que ele apresentou em Cristo, de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas, tanto as do céu como as da terra. Em Cristo fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade, a fim de sermos para louvor da sua glória, nós, os que de antemão esperamos em Cristo. Nele também vocês, depois que ouviram a palavra da verdade, o evangelho da salvação, tendo nele também crido, receberam o selo do Espírito Santo da promessa. O Espírito é o penhor da nossa herança, até o resgate da sua propriedade, em louvor da sua glória. Deus estava falando e agindo pessoalmente em Jesus, seus atos e vontades ficaram plenamente conhecidos, e o que aconteceu antes mesmo da criação do mundo nos foram revelados nele. Em Jesus o Pai estava curando a todos e não colocando doenças, e Deus não muda, nele não há nem sombra de variação, Ele é o que sempre foi e sempre será, e só sabemos disso porque vimos Jesus vivendo o Pai. Que maravilha poder conhecer as escrituras através de Jesus. A revelação do evangelho é que Jesus nos fez conhecer o Pai nEle, e faz com que nós mesmos nos conheçamos nele. Ele de fato nos uniu ao Pai.”
(Efésios 1.3-14)

“Por essa razão, eu me ponho de joelhos diante do Pai, de quem toda a família, nos céus e na terra, recebe o nome. Peço a Deus que, segundo a riqueza da sua glória, conceda a vocês que sejam fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito, no íntimo de cada um. E assim, pela fé, que Cristo habite no coração de vocês, estando vocês enraizados e alicerçados em amor. Isto para que, com todos os santos, vocês possam compreender qual é a largura, o comprimento, a altura e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que vocês fiquem cheios de toda a plenitude de Deus. Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, a ele seja a glória, na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém!”
(Efésios 3.14-21)

“Não se enganem, meus amados irmãos. Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança. Pois, segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas. A prática da palavra de Deus.”
(Tiago 1.16-18)

“A palavra novo testamento significa novo pacto, feito selado com o sangue de Jesus para a remissão e perdão dos pecados. Quando lemos o novo testamento é importante saber a diferença entre os evangelhos e as cartas. Os evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João de forma geral falam do Messias, de sua obra redentora, apresentando Jesus como Rei, Servo, homem e Deus. Os evangelhos mostram a vida do Deus que se fez carne, esvaziando-se de Sua divindade para assumir o lugar do homem, cumprindo toda a lei como um homem Justo nas condições exigidas por ela para depois apresentar-se em nosso lugar como culpado sofrendo em si a sentença da lei pela nossa culpa, assumindo o nosso pecado em sua morte e nos dando sua Justiça e sua vida em sua ressurreição” (II Coríntios 5.21/ Romanos 8.1-4).

O imenso amor de Deus por sua criação é revelado nos evangelhos de forma clara e precisa quando Deus Pai envia seu próprio e único filho para sofrer e morrer em nosso lugar cumprindo as exigências da lei que era a morte dos transgressores, condenados por toda a eternidade ao inferno.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem nele crê não é condenado; mas o que não crê já está condenado, porque não crê no nome do unigênito Filho de Deus.”
(João 3.16-18)

As cartas foram escritas para três grupos: para a igreja, para os judeus e para os gentios, por isso é importante saber o que elas estão dizendo e com quem estão falando (I Coríntios 10.32). As cartas endereçadas a igreja mostram quem nos tornamos em Cristo, fala da nossa responsabilidade para com o evangelho e a salvação que recebemos, nos orienta, corrige e consola. Deus em Cristo fez a parte dEle nos recriando para sermos filhos de Deus e templo do Espírito Santo, agora estamos habilitados e precisamos fazer a nossa
parte como Igreja e corpo de Cristo servindo com fidelidade ao nosso Senhor.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA