Como está o seu coração?

Postado em
0

por Cristiano Arcoverde

Uma raiz de amargura brotando pode nos privar da graça de Deus. Muitos, por deixarem seu coração contaminado se afastam da graça do Senhor e, por consequência, ficam perdidos no meio do caminho, porque não conseguem mais discernir a voz do Senhor, passando a perder a direção celeste.

Você já viveu alguma situação de não identificação de diagnóstico diante de alguns sintomas? No ano de 2011, passei por situação semelhante ao retornar de uma missão no continente africano. Convivi com alguns sintomas durante meses, fui atendido por vários médicos que não conseguiam fechar o diagnóstico do que estaria causando aqueles sintomas, tornando aquela situação mais preocupante para mim.

É muito ruim sentir algo e não saber de fato o que está ocasionando. Muitos têm passado por isso ao preservar um coração amargurado, frustrado, magoado, ferido e não identificar ou aceitar, de fato, que assim está, pensando que está tudo bem.

Imagine você andando em uma rua escura, deserta e, de repente, você escuta tiros. Qual a melhor opção, diante dessa situação complicada e aterrorizante: ouvir os tiros e não saber de onde está vindo ou ouvir os tiros e saber de onde está vindo? Imagino que você escolherá a segunda alternativa.

Com certeza, quando você consegue identificar de onde está vindo o ataque, fica mais fácil buscar proteção e até mesmo contra-atacar. Da mesma forma é em nossa vida. Enquanto você não identificar o que o está afetando, terá dificuldade até mesmo para se defender. Meu propósito neste texto é lhe dar algumas dicas para que você possa identificar se em sua vida existe alguma mágoa, chateação, ofensa ou amargura por alguém. A identificação é uma condição básica para um tratamento eficaz e para a liberação do coração.

Observe as perguntas abaixo que, certamente, o ajudarão na identificação de algum sintoma de amargura com relação a outra pessoa:

Fica ressentido por qualquer notícia ou relatório bem-sucedido a respeito dessa pessoa?

Deseja secretamente ou publicamente que ele (a) não obtenha sucesso em seus empreendimentos?

Vibra, ainda que em secreto, quando ela se prejudica?

Quando a encontra, propositalmente, faz como se não a tivesse visto?

A simples menção do nome da pessoa o deixa chateado e você passa a recordar, na mesma hora, dos acontecimentos e a tristeza ou raiva volta completamente, como nos dias iniciais do conflito?

Tem a tendência de conversar com outras pessoas a respeito das falhas ou erros dessa pessoa?

Se alguma das alternativas acima você disse sim, possivelmente há algum ressentimento ainda presente. A palavra “RESSENTIR”, segundo o dicionário da língua portuguesa de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, p. 1226, significa: sentir novamente, magoar-se muito com, sentir profundamente, melindra-se.

Diga não ao ressentimento, pois ele destrói muita coisa, mas principalmente o ressentido. Ficar remoendo as coisas que passaram, certamente, o fará sentir novamente muita coisa que não faz bem. Se você não der um basta, sua vida vai girar em torno disso, como um ciclo contínuo e prejudicial.

*Trecho do livro Livres da amargura de Cristiano Arcoverde 

 

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA