Devemos ser ousados

Postado em
0

por Thiago Borba

Quando recebi o convite para suceder o pastor João Roberto na Igreja Sede em Campina Grande (PB), Deus me falou algumas coisas e uma frase do irmão Kenneth Hagin tem me acompanhado: “Há um mover do Espirito Santo que pode ser perdido na nossa geração a não ser que seja transmitido através de preceitos e exemplos”.

Devemos ter cuidado no que ouvimos na internet. Mantendo a doutrina que um dia recebemos. O ap. Bud Wright nos dizia: “Não permita que a sua igreja cante e pregue sobre o poder sem ter poder algum”. Ele dizia que uma igreja sem as manifestações do Espírito é uma igreja morta.

Não devemos ser ministros do Espírito sem a Palavra ou da Palavra sem o Espírito. Devemos nos encher da palavra e do Espirito. Jesus tinha as manifestações do Espírito enquanto pregava.

“A dizer-lhe: És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro? E Jesus, respondendo, disse-lhes: Ide, e anunciai a João as coisas que ouvis e vedes: Os cegos veem, e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho. E bem-aventurado é aquele que não se escandalizar em mim” (Mateus 11.3-6).

As demonstrações do Espírito no ministério de Jesus comprovavam quem Ele era.

“Mas eu tenho maior testemunho do que o de João; porque as obras que o Pai me deu para realizar, as mesmas obras que eu faço, testificam de mim, que o Pai me enviou” (Joao 5.36).

As obras que Jesus realizava provavam que Deus O enviou.

“Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis” (João 10.37).

“Jesus, pois, operou também em presença de seus discípulos muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome” (João 20.30- 31).

Jesus não fazia as obras e sinais de vez em quando, elas eram constantes e tinham um propósito: provar que Ele era enviado por Deus. Deus aprovou Jesus publicamente quando realizou sinais por meio dele. As demonstrações do Espírito vêm para provar que a Palavra é a verdade.

Pregar uma boa Palavra não é suficiente devemos ter expectativas do mover do Espírito. Se a sua vida não é sobrenatural, é superficial. Não fomos chamados para viver de forma superficial, devemos viver além do que o nosso intelecto pode proporcionar. Púlpito é lugar de pregar a Palavra e manifestar os dons do Espírito. Seja ousado e corajoso na demonstração do Espírito.

Jesus era ousado e dava sinais visíveis para que os homens entendessem que o que era invisível estava acontecendo.

Eu sou músico e sei que a música tem o poder de tocar as emoções das pessoas. Davi tocava e Saul se sentia melhor e o espirito maligno deixava ele. Davi era ungido por Deus, e um músico ungido consegue tocar o coração das pessoas, mudando o espiritual.

Quando estou no púlpito, preciso ter a certeza que devo mudar as pessoas por dentro e só a unção do Espírito pode fazer isso. Devemos alcançar o coração das pessoas, mas devemos ser ousados. Deus é o primeiro interessado em provar que a unção é real.

Como ministros, devemos estar atentos em como o Espírito Santo vai querer confirmar aquilo que estamos ministrando.

“Testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade?” (Hebreus 2.4).

Rick Renner diz que “sem a demonstração do Espírito, o Evangelho vai parecer um conto de fadas.”

Devemos declarar que quem entrar pelas portas da nossa igreja vai sair curado. Deseje os dons do Espírito. Da parte de Deus já existe um desejo do Espírito em se mover. Deus nunca vai perder a oportunidade de, em um ajuntamento de pessoas, alcançar a vida delas.

Se você tem 50 minutos para pregar e você prega 50 minutos, não está deixando o Espírito santo trabalhar.  Esteja atento ao Espírito e saiba que outras coisas vão acontecer e talvez nem seja através de você

As demonstrações do Espírito crescem na prática. Nós não podemos deixar que as nossas ministrações se tornem palestras. O Espírito Santo tem que continuar tendo lugar em nossos cultos. Nem sempre vai ser espetacular, mas sempre será sobrenatural.

Não deixe a timidez e o medo pararem você. É possível você ocupar seu coração com fé e medo ao mesmo tempo. Mas o que você vai deixar crescer? O medo tem o poder de minar a nossa fé se permitirmos. Não tenha medo do que as pessoas irão pensar e nem do que pode ou não acontecer.

Devemos ser mais ousados na Palavra. É necessário coragem para pregá-la. Estamos aqui para alcançar outros. Não é sobre você. Deus é maravilhoso e sua Palavra também. Tem uma hora que devemos sair de cena para que as pessoas entendam que só podia ser o Espirito.   

Devemos nos mover no dom que Deus nos deu. Seja profeta, pastor ou mestre, alcance a vida das pessoas. Todos nós dependemos da mesma fonte, o Espirito Santo. Talvez pessoas serão curadas e batizadas enquanto você ministra, mas isso não vai acontecer se você não desejar. Precisamos dar vazão ao Espirito. Não vamos deixar as manifestações morrerem nesta geração.

Não é a nossa força, criatividade e habilidade como líderes, mas é na força do Espírito Santo. Prepare-se, estude, seja cheio da Palavra, mas também seja cheio do Espírito Santo. Pregue inspirado mesmo fazendo seu esboço. Deixe a unção operar na sua vida. Seja ousado em orar e interpretar as línguas.

Leia os livros do irmão Kenneth Hagin e esteja afinado para esses últimos dias. Muitas pessoas têm pregado boas ministrações, mas tem faltado o Espírito comprovando as suas palavras. Não é você que convence ninguém, mas o Espirito.

Encha-se da Palavra de Deus e do Espírito!

 

*Trechos da mensagem de 27 de maio de 2022, na Conferência de Ministros Centro-Oeste .

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA