A nossa Páscoa

Postado em
0

por Thiago Borba

A palavra “Páscoa” significa passagem. Vamos ver a instituição da Páscoa em Êxodo 12.1-14 para entendermos melhor o que a Palavra de Deus fala sobre isso. Neste texto, está a descrição da décima praga do Egito: a morte dos primogênitos. Entretanto, para os israelitas, Deus promoveu livramento. Ele os instruiu para que matassem um cordeiro e passassem o sangue daquele animal nos umbrais das suas portas. Dessa forma, quando o anjo da morte passasse e visse o sangue nos umbrais, as pessoas daquela casa não sofreriam dano algum. 

“Passarei”, no hebraico, tem o mesmo significado da Páscoa. Um é substantivo, outro é verbo e significa exatamente isso: passagem, ou seja, a morte iria passar por aquelas pessoas e não iria causar dano. Essa também é a Páscoa que comemoramos hoje, onde a morte tem passado por nós, sem causar dano. 

Nós precisamos entender qual é a Páscoa que estamos comemorando. O motivo de estarmos tão alegres é por causa da ressurreição de Jesus. É justamente por causa da ressurreição d’Ele, que nós podemos comemorar a nossa Páscoa hoje. 

A Bíblia garante, em I Coríntios 5.7, que Jesus é o nosso cordeiro pascal. É por causa d’Ele que a morte passa por nós e não causa dano. Nós precisamos entender o que Jesus conquistou para nós na Sua ressurreição e não apenas o que Ele conquistou com a Sua morte. A morte de Jesus, sem a ressurreição, não teria validade para nos tornar salvos. 

Se Ele tivesse ficado apenas na morte, isso não causaria tanto impacto em nossas vidas. Foi a Sua ressurreição que nos livrou dos nossos pecados, nos deu a vida eterna e nos tornou filhos de Deus. Jesus não ficou na morte, Deus não deixou a Sua alma na morte e nem que o seu corpo visse a corrupção. Ele ressuscitou! 

A Bíblia fala da ressurreição de Lázaro, em João 11, como um grande feito, algo maravilhoso, mas comparado à ressurreição de Jesus, a de Lázaro não representa tanto. Nenhuma outra ressurreição pode ser comparada com o nível da ressurreição de Jesus. A de Jesus foi diferente. A Bíblia, em Efésios 1, diz que Deus usou a eficácia da força do Seu poder para ressuscitar a Jesus Cristo. 

Havia uma oração entre os judeus naqueles dias, falando sobre o Messias que seria ressuscitado, dizendo que a maior demonstração do poder de Deus seria ressuscitar aquele Messias um dia. O nível de ressurreição que Jesus experimentou, nenhum homem experimentou antes d’Ele e nem até agora. 

Gênesis 1.26 diz que “Deus nos criou à Sua imagem e semelhança”. Fomos criados para ser eternos. Deus nos criou para vivermos para sempre, para existirmos eternamente, nosso espírito, alma e corpo. Adão e Eva foram criados para ser eternos. Eles só experimentaram a morte, porque pecaram. Primeiro a morte espiritual, depois a morte física. A partir disso, todas as pessoas que nasceram para ser eternas, morrem um dia. Por quê? Porque pecam. Este é o salário do pecado: a morte.  

Eclesiastes 3.11 diz que “a eternidade foi colocada no coração do homem”. Desde o Antigo Testamento, homens e mulheres de Deus foram levantados para falar sobre eternidade. Podemos ver que Jó, aproximadamente 4 mil anos atrás, já tinha entendimento a respeito da eternidade. No livro de Jó 19.25 está escrito: “(…)porque eu sei que o meu Redentor vive e, por fim, se levantará sobre a terra. Depois revestido este meu corpo da minha pele, em minha carne verei a Deus”. Ele não estava falando sobre ser uma “alma penada”. Não, ele disse: “Na minha carne, na minha pele, vivo, verei o meu Deus!”.

Há milhares de anos, Isaías profetizou acerca de um dia em que todos vão ressuscitar para ganhar um corpo de carne e osso para encontrar-se com o redentor. Isaías 26.19 diz que “a terra dará à luz aos seus mortos”Daniel 12.2 nos mostra que “muitos que dormem no pó da terra, uns ressuscitarão para a vida eterna e outros para vergonha e horror eterno”.

Desde o Antigo Testamento, havia ensinamento sobre a eternidade, pessoas levantando a bandeira da eternidade, da ressurreição de fato, em carne e osso. Nunca pense em eternidade como alguém que está só em espírito nos céus. A Bíblia diz que aqueles que já morreram em Cristo estão com o Senhor no céu em espírito, mas essa ainda não é a posição eterna deles. Essa não é a forma com a qual vão experimentar a eternidade. Deus não os criou apenas para serem um espírito nos céus. Deus os criou para serem espírito, alma e corpo eternos!

Até a primeira vinda de Jesus, o ensinamento sobre ressurreição dos mortos estava perdendo força. Naquela época, existiam duas grandes facções religiosas entre os judeus: os fariseus e os saduceus. Os fariseus acreditavam em espíritos, anjos e na ressurreição dos mortos, mas os saduceus não acreditavam mais nisso. 

Os saduceus não acreditavam na ressurreição dos mortos por causa de ensinamentos pagãos. Eles pensavam na eternidade de outra forma, baseados nos ensinos de outras religiões daquela época. Eles diziam que o corpo físico era uma prisão para o espírito. Sendo assim, quando o homem morria e saía do seu corpo, era liberto da prisão. Por isso, dizer que o corpo ressuscitaria ou que voltaria para um corpo eterno, era o mesmo que dizer que o espírito seria aprisionado novamente. 

Como muitos estavam crendo nesse tipo de ensinamento, Jesus teve que combater essa doutrina. Muitas vezes, Jesus teve que bater de frente com os saduceus falando sobre a ressurreição dos mortos. 

Jesus foi muito claro ao nos ensinar sobre isso em João 5.24 dizendo que “quem crê n’Ele, tem a vida eterna e já passou da morte para a vida”. O versículo 25 deste mesmo capítulo diz que os mortos que ouvirem a Sua voz, viverão. Seguindo os próximos versículos, “não vos maravilheis disto, porque todos os que estiverem nos túmulos ouvirão a Sua voz e sairão.  Os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo”

Quando falamos em salvação, é muito importante entender todos os benefícios que temos hoje em Cristo Jesus: a saúde divina, a autoridade, andar em fé, declarar e as coisas acontecerem, andar em prosperidade, sabendo que Deus supre cada uma das nossas necessidades, mas não podemos esquecer da coisa mais básica de todas: Jesus morreu para que nós não fôssemos para o inferno. A eternidade é real. Nós somos eternos. Os que estão aqui na igreja e os que estão no mundo. Um dia, mesmo os que morrerem vão ressuscitar. Uns ressuscitarão para a vida e outros vão ressuscitar para a morte. 

A Bíblia explica sobre a eternidade com Deus para aqueles que nasceram de novo. Uma eternidade desfrutando da presença d’Ele o tempo inteiro. Deus vai criar um novo céu e uma nova terra e nós estaremos com Ele nesse lugar que não precisa nem da luz do sol, porque a glória do Senhor vai brilhar e iluminá-lo o tempo inteiro. Nessa nova terra, nós estaremos com o corpo transformado, de carne e osso, reinando e servindo ao Senhor.

Mas existe outro lugar, o destino que estava preparado pra mim e para você. Um lugar tão horrível que a Palavra chama de “lago de fogo e enxofre”. João descreve, em Apocalipse, como “segunda morte”, que é destinada para aquelas pessoas que não nascerem de novo, nessa vida. Um lugar tão ruim que o próprio diabo, a morte e o inferno serão lançados lá. 

Entretanto, quando Jesus ressuscitou, fez com que a morte passasse por nós sem causar dano. A primeira morte, que vai eliminar este corpo, não tem poder contra nós nem contra a nossa salvação. Ela vai ser apenas uma transição, uma passagem para a nova etapa naquilo que vamos viver em Deus. Essa primeira morte é tão simples, que Deus já tem preparado um corpo novo nos esperando depois dela. 

Todavia, lemos na Bíblia sobre uma segunda morte: a morte eterna. Em Mateus 10 diz que “não devemos temer aqueles que fazem perecer a carne, e sim aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo”. A eternidade que nos aguardava era ressuscitar e ganharmos um novo corpo para passarmos a eternidade nesse lugar, no inferno. 

Eu quero despertar um desejo maior por evangelizar, porque existem pessoas lá fora que estão destinadas para ir para aquele lugar (o inferno). E a Bíblia diz que as chaves do reino dos céus estão com a Igreja. Somos eu e você que damos o acesso a eles, levando essa Palavra. E assim, fazemos essas pessoas terem um destino eterno diferente. 

Eu quero lhe dizer o que aconteceu quando Jesus ressuscitou. No livro de Atos 17.3 diz que era necessário que Jesus morresse e fosse ressuscitado dentre os mortos. Essa ressurreição não foi como a de Lázaro que ressuscitou, mas morreu novamente tempos mais tarde, assim como a filha de Jairo. Mas Jesus morreu e a morte não tem mais domínio sobre Ele (Romanos 6.9).

Qualquer outra ressurreição não pode ser comparada ao que Jesus experimentou. Com Jesus foi diferente. Quando Ele ressuscitou, se apresentou aos irmãos no corpo, em carne e osso. Ele pediu que o tocassem para que eles vissem que não era um fantasma e para provar ainda mais pediu um peixe para comer. Em outra ocasião, Jesus estava sentado à mesa comendo com os discípulos. Era um corpo de carne e osso.

Em Atos 26.22,23 diz que os profetas e Moisés deram testemunho de que Jesus seria o primeiro da ressurreição dos mortos, para em tudo ter a primazia. Jesus experimentou, em primeira mão, tudo o que nós conseguimos experimentar para a salvação. Ele foi o primeiro a ressuscitar, para que você e eu sigamos os Seus passos. Ele nos abriu um caminho que, mesmo que morramos a primeira morte, mesmo que este corpo exterior desfaleça, Deus já proveu uma casa nova para nós nos céus, um corpo eterno, imortal, glorificado e incorruptível.

Jesus veio para mostrar que o homem vai existir eternamente
em corpo.

Depois de ressuscitar, Jesus passou 40 dias conversando, comendo, instruindo, ministrando para mais de 400 pessoas e se mostrando o Jesus ressurreto, de carne e osso, diante dos discípulos. Eu imagino que a primeira ceia depois que Jesus ressuscitou foi uma festa muito grande. Eles só passaram três dias sem Jesus, entre a Sua morte e ressurreição. Depois de ressurreto, passaram 40 dias juntos, comprovando que Ele é a ressurreição e a vida. 

Eles viram Jesus, se tornaram testemunhas de que a ressurreição existe, de que a eternidade é real, pois eles comeram “com ela”. Eles não se continham e anunciavam a eternidade a qualquer custo. Eles pregavam mesmo com espada no pescoço. Mesmo ameaçados, eles não negavam a Jesus. Como causar medo em uma pessoa que não tem mais medo da morte? Como causar medo da morte em uma pessoa que tem convicção da eternidade? Como poderiam ter medo da morte se eles conviveram com a ressurreição? 

Eu sou lavado pelo sangue do Cordeiro. Eu não tenho medo da morte, a condenação que estava sobre mim passou. Eu não tenho mais medo de nada. Eu tenho a marca do Cordeiro Pascal sobre a minha vida. A ressurreição é tão importante, que Romanos 10.9,10 diz que devemos confessar com a nossa boca que Ele é o nosso Senhor e crer com o nosso coração que Ele ressuscitou dentre os mortos. Sem acreditar na ressurreição, sem crer na eternidade, ninguém é salvo.  Sem essa convicção e sem essa declaração, não há salvação.  

Paulo, combatendo falsas doutrinas, em I Coríntios 15.15, disse que “se não tem eternidade, se Jesus não ressuscitou, é vã a nossa fé”. Paulo foi enfático ao afirmar que a ressurreição dos mortos é a doutrina mais básica do cristianismo. É a ressurreição que nos distingue de qualquer outra religião, porque qualquer outro deus deles está morto. Mas o nosso Deus está vivo! Para provar pra mim e para você que a morte não pode mais nos causar dano. Jesus ressuscitou porque precisava estabelecer de novo o relacionamento entre Deus e os homens: a eternidade, a vida eterna.

Lemos em I Pedro 1.3-5 que por meio da fé temos, em Jesus Cristo e na sua ressurreição, a proteção de Deus com seu poder. Para que o nosso corpo de humilhação seja revestido em corpo de glória até o dia em que O veremos face a face, porque seremos semelhantes ao que Ele é. Romanos 8 chama de “dia da ressurreição do nosso corpo”, pois mesmo se estivermos mortos, vamos ressuscitar, isso nos é garantido por causa da ressurreição de Jesus. O dia em que a nossa vida em Cristo será manifesta com Ele aqui na terra. O dia da redenção do nosso corpo. 

Não se prepare para a morte. Se Jesus voltar hoje, Ele vai nos encontrar vivos e estaremos para sempre com o Senhor. A eternidade que Deus tem para nós, nada pode nos tirar. Nem doença, nem Covid, câncer, AIDS ou gripe, nenhuma morte pode nos separar do amor de Deus. Não deixe o diabo trazer nada para a sua vida, pois Jesus foi ressuscitado para ser a primazia. Ele é aquele que vai abrir a porta para aquilo que seremos um dia. 

Esta é a nossa Páscoa. A morte passa por nós e não causa dano. O mesmo poder que ressuscitou Jesus dentre os mortos, está disponível para nós. Não devemos nada ao diabo. Jesus já pagou o preço por mim e por você. Tudo já foi totalmente pago. Jesus já fez tudo. Jesus, a nossa páscoa, ressuscitou!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA